Make your own free website on Tripod.com
PREVINA-SE
Herpes Genital

Home

DST | AIDS | Cancro Mole | Candidíase Vulvovaginal | Condiloma Acumulado | Donovanose | Gonorréia | Hepatite B | Herpes Genital | Linfogranuloma Venéreo | Pediculose Pubiana | Sífilis | Tricomoníase | Vaginose Bacteriana | Vulvovaginites | Sintomas | Conseqüência | Como previnir | Objetivo | saiba sobre mim | Contate-me

-O que é?

É uma virose que se caracteriza por lesões vesiculosas que se transformam em pequenas úlceras em poucos dias. Tem o período de incubação de 3 a 14 dias. As lesões são dolorosas e aparecem e somem espontaneamente.

O agente causador é Herpes simplex virus (HSV), tipos 1 e 2, um DNA vírus.

-Transmissão

É transmitida predominantemente pelo contato sexual, inclusive por sexo oral. A transmissão pode ser também através do contato direto com lesões ou objetos contaminados.


-Sintomas

Os sintomas mais freqüentes são: aumento de sensibilidade, formigamento, ardência ou prurido antecedendo o aparecimento das lesões. No homem, aparece com mais freqüência na glande e prepúcio. Na mulher, nos pequenos lábios, clitóris, grandes lábios, fúrcula e colo do útero. No homem, pode haver ardência ao urinar. Na mulher, pode haver um corrimento genital aquoso. Sintomas gerais, como febre e mal-estar, podem ocorrer.

Exposições ao sol, estado emocional alterado e febre são fatores que podem fazer com que as lesões reapareçam.


-Complicações

A herpes pode provocar o abortamento espontâneo, o parto prematuro, baixo peso, e até mesmo a morte do recém-nascido. Pode provocar também vulvite, vaginite, ulcerações genitais, entre outras complicações.


-Exame

O exame físico é o meio mais fundamental para o diagnóstico da infecção. O exame de laboratório pode ser feito por citodiagnóstico, biópsia e cultura. Além desses exames terem limitações, não são utilizados como rotina.


-Tratamento

Não existe um tratamento para curar definitivamente a doença. Hoje, o que se busca é diminuir as manifestações da doença e aumentar o intervalo entre as crises.

A dor pode ser aliviada com analgésicos e anti-inflamatórios. O tratamento local é feito à base de solução fisiológica ou água boricada. Antibióticos também podem ser receitados para evitar lesões secundárias.

O uso de preservativo não impede a transmissão enquanto houver lesões, então o melhor a fazer é abster-se do sexo nos períodos de crise.

Após a lesão cicatrizada, a pessoa não é mais transmissora da doença.

Previna-se*2003